Material escolar com preço atrativo

O ano mal começou e muitos pais iniciaram também a corrida pelos materiais escolares dos filhos nas papelarias de Porto Velho. As lojas estão apostando nas grandes novidades dos produtos e diversas formas de pagamento, tudo para atrair os clientes.
De acordo com a vendedora de uma papelaria, Lorrana Vasconcelos, mochilas, estojos e cadernos de personagens são a grande atração para as vendas deste ano no local. “Compramos muitos produtos dos mais variados modelos e desenhos infantis. As crianças adoram os personagens da televisão e aqui elas podem encontrar todos. Fizemos um grande investimento nesse segmento”, disse Lorrana.

Lei federal

Para facilitar a vida dos pais, a Lei Federal 12.886 – sancionada em novembro de 2013 – proíbe a cobrança de itens coletivos nas listas de material escolar, medida que já está valendo em todo o Brasil.
Segundo o Serviço de Proteção ao Consumidor (Procon), material coletivo como tinta guache, massas, lápis para quadro branco, algodão e materiais de higiene e de escritório como envelopes, clipes, tinta para impressora, fita adesiva, agenda escolar específica da escola, taxa da reprografia, CD e DVD, não podem estar presentes na lista. A instituição de ensino que desobedecer pode responder processo administrativo e pagar uma multa no valor de R$ 300 a R$ 3 milhões, de acordo com o Procon.

Papelarias apostam nos descontos

vendedora Lorrana Vasconcelos conta que a estratégia da loja em que trabalha é conceder descontos. “A loja está com os preços dos produtos aproximadamente 15% mais barato que o ano passado, além da grande variedade de produtos”, argumentou.
Raquel Lopes, gerente de outra papelaria, destaca que muitos pais já anteciparam as compras dos materiais em razão das viagens de final de ano. “Como tem o Natal, a virada do ano e muitos viajam para comemorar as festas com suas famílias em outras cidades, parte já antecipou e comprou os materiais em dezembro mesmo. Isso é bom para evitar a correria de última hora, as grandes filas e ter mais tempo para pesquisar os valores e produtos”, destaca Raquel.

A gerente também confirma o investimento em novidades para atrair a atenção dos mais exigentes.“A grande maioria das crianças querem os materiais da Moranguinho, Galinha Pintadinha, entre outros, dessa forma tudo que eles procuram de materiais envolvendo personagens infantis pode ser encontrado aqui”, afirmou a gerente.

Apesar de tantas novidades, o preço é o que deve atrair os clientes, afirma a gerente de outra papelaria Daniele Epaminondas. “Estamos disponibilizando 10% de desconto para compras à vista em todo material escolar, desde os cadernos, mochilas, canetas, lápis de cor. Além de dividir no cartão e algumas promoções também”, conta Daniele.

Lista de material disponível

Zuleide Amorim, gerente de outra papelaria, explica que para facilitar a vida dos clientes o local disponibiliza as listas com o material escolar de todas as instituições de ensino de Porto Velho – públicas e privadas. “É uma forma de ajudar os pais. Aqui eles já encontram a lista dos materiais dos filhos. Muitos não possuem tempo ou até mesmo esquecem de ir na escola buscar a lista. Então foi uma forma de facilitar para eles”, explicou Zuleide.
Ela também afirma que não houve alteração no preço dos materiais escolares em relação ao ano passado.”Os preços são os mesmos, e, em muitos casos, os valores de alguns produtos foram até reduzidos”, concluiu.

Preços bons

Gisele Soni afirma ser uma das mães que anteciparam as compras do material da filha. “Já comprei boa parte dos materiais ainda em dezembro. Voltei agora só para comprar algumas coisas que faltaram. Os valores dos preços estão quase os mesmos do ano passado, não percebi muita alteração comparado com 2013”, afirma Gisele.
Fernando Cardoso, pai da pequena Ingride, afirma que está pesquisando para economizar no momento da compra. “Entrei em algumas papelarias para comparar os preços, mas estão quase os mesmos de um local para o outro. Em relação com o ano passado os valores estão praticamente os mesmos também. Mesmo assim, para nós que somos clientes, o ideal é sempre fazer a velha e boa pesquisa de preço se quisermos economizar um pouco mais”, argumentou Fernando Cardoso.

(fonte diário da amazônia)

Comments: